Monthly Archives

agosto 2015

Galeria Flora Por Mil Pincéis

By | Boas Novas | No Comments

A Galeria “Flora Por Mil Pincéis” foi criada durante o I Congresso de Animação e Concept Art organizado pelo ICONIC – convidamos todos marujos e marujas deste vasto mar para fazer reinterpretações de nossa linda mascote Flora!

Quando propusemos o nome “Flora Por Mil Pincéis” não pensamos que de fato chegaríamos próximos de “mil pincéis” no prazo que colocamos – mas foi justamente o que aconteceu! Foram mais de 800 artes maravilhosas que estão agora eternizadas em nossa galeria de arte! 

Essa galeria é um de nossos maiores orgulhos, e você pode conferi-la aqui:

Se você perdeu o ônibus não pôde participar a tempo: quem sabe não reabrimos a galeria no futuro? <3

Nunca se sabe o dia de amanhã.

A não ser que você seja um oráculo, como nossa querida Oompa-Loompa Bete.

Daniela Fischer

By | ICONIC Talks | No Comments

Não poderíamos deixar de fazer uma entrevista com nossa querida Daniela Fischer, a animadora responsável pelos loops de animação da nossa querida mascote Flora!

A Dani é uma animadora de mão cheia e atualmente trabalha em Vancouver, no Canadá. Vale muito a pena conferir lindíssimo trabalho dela e se hipnotizar com seus loops sensacionais!

Esperamos que goste! 🙂

https://vimeo.com/135981550

Diga ao meu mundo quem tu és, nobre aventureira!

Daniela Fischer, 25 anos, carioca. Me graduei em desenho industrial projeto de produto pela UFRJ, mas nunca fui boa em design de produto.

A primeira vez que tentei entrar no mercado de animação foi porque uma colega de faculdade disse que meus desenhos eram bons e eu deveria tentar. Eu sempre gostei de animação mas não fazia ideia de como fazer pra me tornar animadora. Pra mim isso era coisa que você tinha que sair do Brasil pra ser. E não fazia ideia que tinha empresa de animação no RJ.

Então, mandei portfólio para os e-mails que ela (minha colega) me deu, consegui uma entrevista e aparentemente tinham gostado dos meus desenhos e disseram que iriam entrar em contato comigo assim que o projeto começasse – o que não aconteceu, hahaha.

Comecei a trabalhar, então, com motion graphics, aprendi bastante coisa legal que remetia muito a animação, mas ainda não era animação de personagem. Enquanto trabalhava com motion graphics, procurei por cursos e encontrei o curso de animação tradicional do Evanildo na 2D Lab. Foi aí que comecei a aprender, bem do zero (desde a primeira bouncing ball). Passado dois anos (mais ou menos) teve um teste pra 2d Lab (contratando animador) mas eu não sabia Toon Boom.

Estudei um pouco de Toon Boom em casa, fui lá, fiz o teste e passei junto com um monte de gente. Trabalhei por 2 anos na 2D Lab (Chico na Ilha dos Jurubebas, Meu Amigãozão e Nautilus) onde aprendi um monte sobre Toon Boom e animação cut out. E nesse mesmo período comecei a fazer freelas (freelances) pra Koi e pro estúdio do Evanildo. Sai do estúdio, fui pra Califórnia estudar por uns 3 meses, e na CTN Expo consegui uma oferta de emprego pra outra empresa que trabalha com cut out aqui em Vancouver – a Bardel.

E estou aqui agora trabalhando em tempo integral no projeto Jake and the Pirates, pro canal do Disney Junior. E vira e mexe ainda faço uns freelas de storyboard e animação.

Suas animações 2D tradicionais são lindas! Você trabalha com mais algum gênero de animação?

Sim, animação cut out.


É possível trabalhar como animadora e ilustradora simultaneamente?

Não me considero ilustradora ainda (apesar de fazer uma ou outra ilustração pra mim ou como estudo), porque não faço isso profissionalmente ainda (leia-se, nunca fui paga pra ilustrar, hahaha). E o motivo pra isso é simples: eu ainda sinto que tenho que praticar muitos aspectos na minha animação e cada exercício de animação toma muito tempo. Então, por enquanto dou prioridade a isso. Acredito que animadores mais experientes conseguem sim conciliar e geralmente os mesmos são excelentes artistas de storyboard e de conceito de personagem.


Qual você considera ser a parte mais complicada de se criar uma animação?

Por enquanto, pra mim os aspectos mais complicados em animação de personagem são: usar diferentes timings pra diferentes partes do corpo e quando a cena tem muitos movimentos de camera complexos.

Qual parte da animação lhe dá mais satisfação em fazer e por que?

Os breakdowns. Gosto muito dos keyframes também, mas os breakdowns são como o “processo final” da primeira etapa da animação (rascunho). E neles você consegue colocar mais detalhes e mais informações no movimento. Então você enxerga a animação finalizada, apesar de ainda não ter intervalos.

Quais as maiores dificuldades que você já enfrentou como artista?

Ir com calma. Chegar a conclusão que não dá pra abraçar o mundo com as pernas por mais rápida ou eficiente que você seja. Sempre falta algo. (Mas acho que isso é algo que acontece comigo e a torcida do Flamengo, né?!)

A arte de animar exige muita paciência e dedicação. Como você faz pra não explodir e jogar tudo pro alto no dia-a-dia?

Sim, concordo. Tem que ter muito dos dois. Principalmente paciência. Mas assim, eu sempre fui uma pessoa paciente (com o trabalho) no geral. E eu gosto muito do que faço, então acho que não passo por momentos que quero jogar tudo pela janela por causa de animação.

Às vezes quero jogar tudo pela janela por outros motivos e a animação me ajuda muito nesse sentido, porque quando isso acontece eu simplesmente sento, pego uma chave de animação, faço uns intervalos e fica tudo bem. Como é um trabalho que exige muita concentração isso me ajuda a esquecer de outras preocupações. Tem gente que não gosta de intervalar ou fazer clean up porque acha um trabalho repetitivo e massante. Eu acho muito relaxante.


Se você pudesse volta no tempo e conversar com a Daniela lá do começo, o que diria pra ela?

Hm, provavelmente: “Pega leve com os freelances, porque nem todos valem a pena.” E talvez passaria uma pequena rotina/guideline de estudo. Porque é muito difícil saber como e por onde começar e tendemos a perder muito tempo tentando descobrir.

Teremos o prazer de ver algum curta-metragem seu ou qualquer projeto do gênero no futuro? <3

Poxa, por enquanto to me concentrando apenas nos pequenos GIF’s de animação. Fazer curta envolve outros aspectos que preciso e quero muito aprender! Quem sabe no futuro. 🙂


Poderia deixar uma mensagem para quem está iniciando sua jornada artística agora?

Bem, falando em termos práticos: Mesmo que o mercado de animação agora seja “cut out“, “Toon Boom“, “Flash” , aprender a animação tradicionalmente. Uma vez feito isso você vai entender que animação cut out surgiu só pra cortar um pouco do trabalho e das etapas de clean up e intervalação.
Se está começando do zero mesmo, faz o basicão: boucing ball, pega uns keyframes e chaves de animação na internet e tenta fazer os intervalos, treina timing e spacing usando um quadradinho se deslocando, exercício de follow (bota um rabinho na bouncing ball).

Depois pula pra walk cycle, personagem pegando peso e etc. NÃO VAI DIRETO PRO CICLO DE CAMINHADA! Não pula etapa. Se você nunca animou na vida a caminhada vai ficar ruim e você desanimado.

Faz aula de modelo vivo e um pouquinho de anatomia porque ajuda muito a melhorar o pensamento em como resolver suas poses. Desenho gestual também. Começa em casa praticando através de fotos e cronometrando o tempo e depois vai pra rua fazer gesture de pessoas (o que é muito mais difícil).

Acho que com isso já dá pra começar e gastar uns bons 2 anos. Seja feliz!


Tumblr
fischer-dani.tumblr.com

Vimeo
vimeo.com/danifischer